Sinceridade entre amigos

Sempre fui desses que fala o que quer, quando quer e a hora que quer. Isto, claro, quando estou entre amigos. Acredito que entre eles, a sinceridade pode ser exercida da melhor maneira possível, sem censuras, sem frescuras, sem meias palavras ou com receio.

Sou muito sincero, sempre fui. Aliás, hoje em dia sou bem menos, tendo em vista as diversas situações chatas em que já me encontrei por esse “jeitinho”. Isto posto, vamos ao que interessa. O fato é que essa minha exagerada sinceridade – entre os amigos, por favor – é muitas vezes interpretada como julgamento ou crítica.

Acredito que cabe ao amigo interpretar da forma mais justa e não como uma agressão. Claro que vão colocar em xeque o modo de ser sincero ou as palavras que são usadas para demonstrar a tal sinceridade. Mas como disse no início, acredito que entre amigos não exista frescura e muito menos meio termo.

Nessa última semana, fiz um comentário nesse milhares de grupos de WhatsApp que todos nós temos e fui acusado (injustamente, inclusive) de ser “assassino de vibe”. Para quem não entendeu, tive o papel de estraga prazer. O mais engraçado de tudo, é que o comentário foi extremamente irrelevante, apenas uma comparação.

Ora, se não posso tecer um comentário sem ser mal interpretado, é sinal de que alguma coisa está errada. Seria eu o problema? Seria a minha sinceridade mal interpretada que afeta de forma negativa o próximo, sem que esta seja a minha real intenção?

Tenho preocupação excessiva com os meus amigos. Me preocupo se estão todos bem financeiramente, no trabalho, na vida pessoal, no amor, na família… Me preocupo porque gosto de todos, sem exceção. Talvez essa minha preocupação também seja mal interpretada.

Outro ponto que venho analisando desde o fatídico dia, é com relação a minha sinceridade. Se você é ou já foi meu amigo, sabe que em determinado momento darei a minha opinião sem que esta seja solicitada. Sei lá, penso que em amizade podemos ser livres de capas, máscaras e outros artifícios usados para esconder uma personalidade da qual, muitas vezes, nos envergonhamos.

Entre os meus amigos quero poder ser eu mesmo, sabe? Sem me importar se vou ser mal interpretado ou se preciso medir palavras. Na minha cabeça, talvez, esse conceito funcione um pouco diferente da maioria. Infelizmente para mim ou para eles? Portanto, amigos, não entendam a minha sinceridade como algo nocivo ou como inquisição. Se faço ou falo algo, é apenas por preocupação. Mas se preciso explicar isso, seria mesmo amizade?


Até que ponto podemos ser sinceros com os nossos amigos? Dúvida cruel dos últimos dias!

Jornalista, aquariano, ruivo e temperamental
Gostou? Compartilha com seus amigos, obrigado =)

    3 comments

    1. Super me identifico! São poucos os amigos que posso falar sem mediar as palavras ou falar sem medo de ser mal interpretada.

    2. Você é autêntico. Há pessoas que não sabem lidar com isso e deixam de aproveitar as benesses de ter uma amizade assim. Beijos!!!

    Comments are closed.

    Bruno Mazieri

    Jornalista, aquariano, ruivo e temperamental

    Style Selector

    Colors

    Layout Style

    Patterns for Boxed Version

    Images for Boxed Version