‘A forma como você me olha’

Foi com essa frase que comecei a prestar atenção em um bate-papo, ‘sem querer’, na academia. Pelo que entendi, isso foi o que ele falou para ela durante uma conversa de WhatsApp. Ela, que aparenta ter seus 30 e poucos anos e ser bem firme em suas decisões, está na fase de um ‘gostar’ dele, mas ambos se encontram em uma zona de turbulência no quesito amor.

Segue a conversa: ‘Disse para ele que gostava muito e de uma forma diferente. Ele respondeu que enxergava nos meus olhos, a forma como eu olhava para ele, mais transparente impossível’. E ela continuou. ‘Senti vontade de falar isso. Queria namorar você, mas não estamos preparados’. Ele então retrucou: ‘Você não precisa falar, sempre senti. Mas acredito que nesse momento seria só uma bomba relógio’.

E ela, com um pouco de razão e um pouco de desconcerto, respondeu: ‘Sem dúvida! Iria estragar tudo, mas, sabe, tenho um medinho bem lá no fundo de você querer outra pessoa, gostar de outra pessoa’. E ele: Só existe uma pessoa que tem esse poder sobre mim’. Ela: ‘Eu sei quem é e não tenho a intenção de competir com ela’.

Nesse momento, comecei a refletir sobre a história, ali, na esteira. Pensei, antes de mais nada, que um olhar ainda é uma das coisas mais verdadeiras em um mundo completamente maluco, onde máscaras são usadas a todo momento e que ações podem ser facilmente maquiadas. Um olhar, porém, nunca mente.

Pensei, ainda, que como esse ‘gostar’ pode bater na porta de alguém em um momento tão… inoportuno, por assim dizer? Mas também, tem aquela premissa do coração é terra que ninguém manda, nem mesmo o dono da terra. Ela seguiu conversando com a amiga. Não prestei mais atenção. Foi o suficiente para mim.

Desci da esteira com a sensação de que lá no fundo, as pessoas cruzam o caminho das outras sem saber, ao certo, no que esse ‘encontro’ vai dar. E cheguei a conclusão de que uma boa dose de razão também é sempre muito bem-vinda.

Afinal, quem quer sofrer de amor e por amor, ainda mais quando existe uma terceira pessoa? Talvez exista essa pessoa, mas no caso da moça, a razão, pelo visto, falou mais alto, mesmo que ela siga, eu acho, ‘gostando’ dele e sendo feliz com os momentos que passam juntos. Até.

– E para acompanhar, essa música da Cássia Eller que veio a minha cabeça logo depois –

0 respostas

Deixe uma Resposta

Quer entrar no debate?
Fique à vontade para contribuir respeitosamente com o bate papo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.